• Vandinho

Acidente com ônibus mata 45 pessoas; 12 crianças estão entre as vítimas - Na Bulgária.


Ao menos 45 pessoas, incluindo 12 crianças, morreram nesta terça-feira (23) em um acidente com um ônibus na Bulgária, informou o Ministério do Interior do país dos bálcãs.


O veículo transportava turistas da Macedônia do Norte, que voltavam de uma viagem à Turquia, e aparentemente bateu em uma barreira de proteção lateral da rodovia e pegou fogo.


Sete pessoas conseguiram sair do ônibus em chamas e foram levadas a um hospital da capital Sófia. Não foi informado até o momento a identidade das vítimas.


“O motorista morreu na hora, então ninguém conseguiu abrir as portas para permitir que os passageiros escapassem das chamas”, disse o chefe de polícia local.


“As pessoas foram reduzidas a cinzas”, afirmou o ministro do Interior, Boyko Rashkov. “A imagem é apavorante, apavorante. Nunca vi nada parecido”.


Viagem à Turquia


O acidente aconteceu na rodovia Struma, a cerca de 45 km a oeste de Sófia, por volta das 2h (horário local, 21h de segunda-feira no Brasil).


O chefe do serviço de investigação búlgaro, Borislav Sarafov, disse que quatro ônibus de uma agência de viagens da Macedônia do Norte entraram na Bulgária na noite de segunda-feira (22) pela Turquia.


Os passageiros voltavam de uma viagem a Istambul, na Turquia, para Skopje, a capital da Macedônia do Norte, segundo o ministro das Relações Exteriores da Macedônia do Norte, Bujar Osmani.


A viagem de Istambul para Skopje dura cerca de 9 horas e pode ser feito por dois trajetos: passando pela Bulgária, pela capital Sófia, ou pelo norte da Grécia, por Tessalônica.


‘Erro humano ou avaria’


Safarov diz trabalhar no momento com duas hipóteses para a tragédia: “Erro humano do motorista ou avaria técnica são as duas versões iniciais do acidente”.


O primeiro-ministro interino da Bulgária, Stefan Yanev, lamentou o o maior acidente rodoviário da história do país e o chamou de “uma tragédia enorme”.


O último acidente rodoviário grave havia sido em agosto de 2018, quando 17 pessoas morreram quando um grupo de turistas búlgaros voltava para Sófia após uma visita a um mosteiro. O primeiro-ministro da Macedônia do Norte, Zoran Zaev, disse estar “apavorado”. “Esta é uma grande tragédia”. G1.


13 visualizações0 comentário