• Vandinho

Atualizações no Instagram afetam geração 'não TikTok'


Em mais uma recente atualização que gerou diversas discussões entre o público e os produtores de conteúdo, o Instagram traz novidades que impactam diretamente na forma de consumir os posts da plataforma.


Entre as mudanças, um novo feed de tela cheia, recurso similar ao TikTok, e a redução no número de stories exibidos automaticamente por usuário. “Os stories estão morrendo”, aponta a especialista em estratégias digitais e CEO da AcoutPlus, Adriana Coutinho.


Adriana, que integra o seleto time de influenciadores que recebem antes as atualizações da plataforma, realizou uma live recentemente, dando alguns insights obtidos em reunião com o head do Instagram, Adam Mosseri.


“Nos últimos dias os stories e posts não performam mais como antes. O Instagram investe em novas estratégias para bater de frente com o TikTok, buscando mudar e redirecionar o comportamento dos usuários. Após usar o “Cenas”, que não obteve o sucesso esperado, o Reels vem para realizar a substituição e vai ser o formato mais interessante dentro da rede”, explica Coutinho.


Millennials são os principais afetados pelas mudanças.


Segundo Adriana, quem usa a plataforma como meio profissional precisa estar sempre atento às rápidas mudanças. E isso pode ser um choque de realidade para os millennials.


“Acompanhar tanta transformação em tão pouco tempo pode ser simples para a geração Z, que é nativa digital. Isso é diferente para pessoas mais maduras, acima dos 35 anos, por exemplo. No entanto, temos que acompanhar as mudanças, se não vamos nadar e morrer na praia. E quando falo em mudanças, não digo somente sobre a última trend de dança. A famosa ‘dancinha’ engaja muito, mas não é a única estratégia”, pontua.


O que pode dar certo.


Apesar das críticas do público ao novo formato do Instagram, Adriana ressalta o que pode dar certo para quem tem a presença de sua marca ou produto na rede. “É crucial entender a importância de ter seguidores relevantes para sua marca, imagem e negócio. Volume, quantidade, não faz mais diferença, ainda mais em um momento em que tem se descoberto tantos perfis grandes com compra de seguidores. Estratégia é a grande chave.”


Para a especialista, o caminho inverso, ou seja, viver offline e trazer essas experiência para o online, as relações reais, é que fará a diferença. “O networking nunca foi tão necessário. Você precisa estar onde as pessoas (público-alvo) estão”.


Para finalizar, Coutinho dá alguns insights sobre as novidades do Instagram:

Fazer um reels por dia é uma estratégia positiva: se possível faça mais de um; Os provadores, que antes faziam sucesso nos stories, migram para os reels; Use o feed para atrair novos seguidores; O carrossel deve ser usado de maneira inteligente e estratégica.



13 visualizações0 comentário