• Vandinho

‘Chance de censura da imprensa em um governo do PT é zero. Nascemos sob a bandeira da democracia”


O senador Jaques Wagner (PT) disse, na tarde desta quarta-feira (9) em entrevista à CNN Brasil, que não há chances de haver censura em uma possível nova presidência da República de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Para ele, a imprensa tem mais chances de ser censurada caso o governo federal continue nas mãos de Jair Bolsonaro (PL).


”A chance de censura no governo do PT é zero. Nascemos sob a bandeira da democracia. A imprensa, seguramente, sofreu muito mais ameaças do atual governo do que nos governos de Lula e Dilma”, disse o senador.


Wagner também disse que considera desnecessária uma regulamentação da mídia no Brasil, uma proposta que é recorrentemente defendida por Lula e pelo PT. Para ele, já há meios jurídicos para punir excessos da imprensa no país.


”Eu não vejo que tenha que regular nada, porque já há regras de punição. Tudo isso já tem as vias da Justiça para regular”, defendeu.


O senador do PT baiano também se defendeu das acusações que o partido sofre por supostamente apoiar governos autoritários de esquerda em países como Cuba e Venezuela. Para ele, é apenas uma questão de autodeterminação dos povos.


”A relação do governo Lula e do governo Dilma com os países que você citou fica no campo restrito do que a gente sempre defendeu na diplomacia: a autodeterminação dos povos. Não estou dizendo que a gente concorda com os modelos. Lula já defendeu a democracia em debates sobre a Venezuela, mas a gente não pode intervir nos países. As coisas se modificam por dentro. É preciso não confundir”, explicou Wagner.


Pré-candidato ao governo da Bahia, Wagner é considerado uma das principais lideranças do PT a nível nacional e um amigo pessoal do ex-presidente Lula. Para ele, um novo governo lulista seria ”pragmático” e não ”ideológico”, como já teriam sido os dois anteriores, entre 2003 e 2010.


”Lula é um pragmático. Ele não se move ideologicamente. Claro, com a questão social. Se Lula não focar no social e no ambiental, que destruiu nossa imagem lá fora, nós não vamos para lugar nenhum. É essencial. Quem viu o Lula de 2003 a 2010 sabe que ele não dá cavalo de pau”, analisou o senador.


Ele também disse que o povo já está vacinado contra as fake news e que não será enganado novamente neste ano, como teria sido em 2018. Para ele, apesar do PT não ser ”santo”, o partido tem autoridade moral para falar de corrupção, já que fortaleceu a Polícia Federal e respeitou a independência do Ministério Público.


”Muita gente que votou com essa temática sabe que foi enganada. Está clara a montagem da Operação Lava Jato, que cada dia se desmonta mais. O mundo do mentiroso está indo para o lado de lá. Tinha um viés político, o mesmo viés que teve o impeachment da presidente Dilma. Não houve crime. O crime foi uma invenção”, disse Wagner, que ainda afirmou que não tem medo do tema “corrupção” durante as eleições. Com informações do site Bahia Notícias

0 visualização0 comentário